segunda-feira, 5 de maio de 2008


O que aconteceu com o tempo que eu tinha e não tenho mais, com a coragem de mudar o mundo, os moveis do quarto, os sonhos, o cenário... com a saudade do desconhecido que me impulsionava pra frente e guiava os meus passos, com a minha capacidade de acreditar no que quer que fosse, de confiar em qualquer um que tivesse um lindo sorriso ou um olhar doce.

O que aconteceu comigo, que me modifiquei tão de repente, que me ausentei do corpo e da alma que habitava. Que me perdi entre vaidades, acabei por escolher outra estrada, uma estrada errada, com sonhos e ilusões que se misturam na realidade, com dores e marcas que não são minhas.

Há tantos sinais e tantas placas que já não sei por onde voltar, nesse atalho tortuoso que não me deixa chegar a lugar nenhum e que não partiu de principio algum.

O que aconteceu com a menina do espelho, que hoje não se reconhece mais, tão fria, tão inerte, tão fugaz...

Hoje o dia nasceu e eu não estava lá. Não dei mais importância ao que movia a minha vida, senti-me livre! Longe, distante numa terra desconhecida, onde esperei o cair da noite. E está noite nenhum espírito veio me visitar.

15 comentários:

  1. Eita fase complicada... nada a dizer, é realmente difícil. Mas precisando papear... tamos aí.

    ResponderExcluir
  2. nossa..profundo e ao mesmo temp otriste =/

    ResponderExcluir
  3. Me deixou sem palavras...

    Conheço bem esse lugar.
    E mais não digo.
    Nem precisa pois não?!

    Um beijooooo imenso*

    ResponderExcluir
  4. Otempo tanto pode ser aliado como pode funcionar como seu próprio inimigo.
    Você está se deparando com a realidade. Infelizmente o bicho ser humano nos decepciona, nos machuca, e acabamos nos fechando como modo de nos defender.
    Acabamos sendo o somatório de todas as nossas experiências e das alheias, pois há assimilação na convivência.
    Quer que eu dê uma voadinha aí pra Sampa? Ah, pode deixar que não mordo os pescocinhos de minhas amigas...hehehe!

    Bjuxxx.

    (L)

    ResponderExcluir
  5. Tem dias que não nos reconhecemos mesmo.
    Não sabemos quem é aquela pessoa refletida no espelho.
    Mas isso logo passa.
    Sempre acreditei que a vida não passa de uma eterna sucessão de fases.
    Nada é imutável, muito menos nós.
    Daí a estranheza muitas vezes conosco mesmo...

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. oi flor,

    teu canto tal indo.
    desculpe a demora.

    amei teu texto, posso copiar (com os creditos)

    bjus

    ResponderExcluir
  7. Ai, Kami!
    Ce escreve bem demais! Tenho vontade de cortar os pulsos toda vez que leio um texto seu. :'(
    Linda! ;***

    ResponderExcluir
  8. tem missão pra vc no meu blog... vai lá,

    bjks!

    ResponderExcluir
  9. Enfim consegui postar, Kami!
    Muita boa sorte e a mesma inspiração de sempre com o blog novo.
    Abraços
    Denis

    ResponderExcluir
  10. Vlw pelo comentário!!

    Bjus

    http://blogdapattyandrea.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. nossa que profundo, triste, doi o coração.
    eu amei, sabe como amo esses textos tristes, porém, o que me preocupa é saber se sua alma ainda não foi visitada pelo amor, não espere que aconteça, sinta o amor, e despeje ele a todos que estiverem a sua volta.

    sabe, to precisando tanto escrever e esses dias longe do meu cantindo não estã me fazendo bem. Li o + novo livro do Paulo Coelho, na verdade não foi ele que escreveu, ele só traduziu, + é bom, chama-se "o dom supremo" você deveria ler, todos deveriam ler e reler e viver todas as palavras que estão escritas nele.

    um beijo

    e quanto ao meu patriotismo ele sempre aparece, penso muito não só no Brasil, mas em toda a humanidade, devia mesmo agira um pouco mais.

    fica com Deus

    ResponderExcluir
  12. Olá Kami, um grande beijo para ti e para estas matérias lindas que escreves.....
    Bjs do ZC

    ResponderExcluir
  13. "Há tantos sinais e tantas placas que já não sei por onde voltar"
    Muitas vezes o lugar onde estamos é onde devemos ficar...

    Belíssima a sua reflexão, daquelas que nascem na alma.

    Beijinhos meus.

    ResponderExcluir

e me disseram...